top of page

DINHEIRO, AFINAL O QUE ELE É E PARA QUE SERVE DE FATO???

Por Wanderlei Passarella - Founder & Chairman no CELINT


Levei muito tempo em minha vida para entender o valor do dinheiro. Primeiro o via como um ideal a ser alcançado. Depois pensei em acumular, gerenciando minhas despesas com muita dureza, pois minhas receitas eram fixas. Passei pela fase de escassez, onde a busca pelos confortos traz dívidas e insegurança.

Enfim, compreendi o verdadeiro sentido do dinheiro e a melhor maneira de valorizá-lo, procurando investir bem: não só a sua dinâmica de aplicação financeira mas, principalmente, a sua dinâmica de aplicação integral na vida de ser humano.



Não foi fácil e ainda não é. Por isso dediquei um capítulo inteiro, no nosso livro “A reinvenção da empresa - Projeto Ômega” - https://www.celint.net.br/livros - que escrevi junto com Paulo Monteiro, para tentar trazer um pouco de meu aprendizado e reflexões ao público. O capítulo quatro se intitula "Dinheiro: ganância ou prosperidade?"

Abaixo dois parágrafos desse capítulo:


"Assim, como colocado anteriormente, o dinheiro pode ser vetor de prosperidade, quando utilizado sabiamente para ajudar na disciplina de busca desses diferentes ângulos da vida, trazendo como consequência a verdadeira riqueza, composta não apenas por bens materiais que ajudam a viver de maneira menos dura, mas principalmente trazendo aqueles bens que não têm preço e são conquistados pela firme disposição da alma.


Nessa linha também escreve Jacob Needleman, em seu livro “O Dinheiro e o Significado da Vida”: “Finalmente, achamos a chave para o lugar que o dinheiro pode – e deve – ocupar em nossas vidas. Ele deverá tornar-se um modo de nos conhecermos, uma ferramenta na única empresa digna de ser encetada por qualquer mulher ou homem moderno seriamente comprometido a encontrar o significado de sua vida. Devemos usar o dinheiro para estudar a nós mesmos como somos e como podemos vir a ser”. Vemos que, para ele, a função digna do dinheiro é ser um meio para o autoconhecimento. O que propomos é que o dinheiro seja um pouco mais do que isso: um vetor para a riqueza do autodesenvolvimento, que inclui o autoconhecimento, mas acrescenta a ideia de desenvolvimento nesses diversos ângulos da vida de uma pessoa; e culmina na elevação de sua consciência!"


Vilipendiado por uns, endeusado por outros. O verdadeiro valor do dinheiro é assunto dos mais importantes na vida de todos nós. Não podemos deixá-lo relegado a preconceitos ou superstições. Estudemos a fundo a sua função e como utiliza-lo bem em nossas vidas. Fica aqui o desafio!!!




1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page