top of page

COLAPSO NA FERTILIDADE GLOBAL TRAZ DESAFIOS NOVOS

Atualizado: 19 de jul. de 2023

E como a Governança Corporativa pode minimizar esses desafios...


Por Wanderlei Passarella - Founder & Chairman no CELINT


No artigo abaixo, publicado na "The Economist", fica patente que a queda da fertilidade em curso no planeta vai trazer consequências econômicas muito adversas. Entre elas:



1. Necessidade de impostos mais altos para sustentar as pensões

2. As aposentadorias terão que ficar cada vez mais tardias

3. As poupanças pagarão juros reais cada vez menores

4. Governos com crises orçamentárias cada vez mais frequentes

5. Menor dinamismo econômico conforme as populações envelhecem, pois tendem a se tornar mais conservadoras e menos propensas ao risco.


Estes são apenas alguns dos desafios...

Mas como enfrentá-los desde já? Aguardar que os governos centrais encaminhem algumas dessas questões é compreensível. Mas, não adianta ficar de braço cruzado, aguardando...

Pessoalmente, acho que é preciso prolongar a sua capacidade de trabalho, para depender menos de fundos de pensão ou aposentadorias governamentais.


Duas atividades que podem contribuir demais são:

A) Mentoria para os mais jovens. Aqueles que tiveram um percurso profissional rico e angariaram experiência suficiente, podem repassar um pouco da sua capacidade de solução de problemas e de enfrentamento das questões diárias de um executivo.

B) Conselhos de Administração ou Consultivos: enquanto a atividade executiva começa aos 20 e poucos anos de idade, atinge um ápice aos 45 e depois declina até que, por volta de 65 anos se chega a aposentadoria (às vezes compulsória), a carreira de Conselheiro começa aos 45 (em média), atinge seu ápice aos 65 e pode ter o Conselheiro bem ativo aos 80 anos... a perspectiva é muito mais longeva!


A questão é como chegar ativo e produtivo aos 80 e além...!? Cada um poderá ter uma resposta diferente. Mas, em geral, o caminho passa pela busca da saúde física e mental, pela atualização constante (Life Long Learning) e pela gestão de carreira para que sua trajetória seja rica, exposta a diferentes desafios, em níveis cada vez maiores de responsabilidades e visão geral de negócios.


Posso dizer que a vida de um Conselheiro e Mentor é muito dinâmica, com muitos insights e conquistas que não tem preço. Mas exige a disposição de contribuir, de se manter constantemente atualizado e de equilibrar bem o lado pessoal com o profissional. Sempre me perguntam: quando devo começar a me preparar para essa fase? A resposta é "ontem"!!! O quanto antes o mindset dessas funções for absorvido, melhor para o seu futuro... ainda mais sabendo que os desafios populacionais trarão consequências econômicas reais...se não agora, quando? Avante!!!






20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page