top of page

Em que momento devo começar a atuar como Conselheiro?

Por Wanderlei Passarella - Founder & Chairman no CELINT


Pergunta muitíssimo frequente, feita por todos que estão na vida executiva e que vislumbram a possibilidade de uma segunda carreira como Conselheiro de Empresas. A resposta vai te surpreender!!!



Bem, costumo dizer que essa alternativa de carreira deveria ter começado ontem!!! Mas, o que dizer daqueles que ainda não estão preparados, ou não tem a experiência necessária, ou ainda se sentem jovens demais?

Para quem não está preparado, o correto é começar a se desenvolver na área por meio de cursos, certificações, estudo autodirigido, participação em congressos, fóruns e outros. Não há outra forma, já que a função de Conselheiro exige competências complementares e, em alguns casos, diferentes daquelas necessárias para ser um ótimo executivo. Outro fator que tenho observado na prática, em participantes dos programas do CELINT - Centro de Estudos em Liderança e Governança Integrais, é que há uma verdadeira aceleração em sua carreira de executivo ao se aprofundar nas demandas de um Conselheiro. Isso é um plus que, me arrisco dizer, muitas vezes um MBA não é capaz de propiciar... talvez possamos designar esse fenômeno como um “refluxo positivo”!


Mas, e quanto à experiência necessária? Neste ponto eu sou mais enfático, sem uma sólida trajetória em empresas, que inclua a gestão geral de um pequeno negócio, de uma filial, de uma unidade de negócios, ou ainda ter tido exposição ao empreendedorismo com seu negócio próprio fica difícil de ter uma visão geral de negócios que permita participar, num Conselho, de todas as decisões relacionadas à organização (estratégia, auditoria, compliance, talentos, riscos, operações, posicionamentos do negócio etc.). Uma forma de checar o quão experiente você está para atuar em Conselhos, é preencher o “quiz” que preparamos, no CELINT, para esse fim: https://www.celint.net.br/quiz-sou-um-conselheiro-potencial


Quanto à idade, o parágrafo anterior já dá uma dica. Quanto mais tempo um executivo está em atividade, mais experiente. Mas, de fato, não podemos dizer que quem tem idade, consequentemente tem maturidade. Não existe essa relação direta! E o grande aporte do Conselheiro é a sua maturidade, ou seja, sua visão equânime dos problemas, sua capacidade de fazer boas perguntas, sua visão de caminhos para os negócios e sua habilidade de mediar soluções entre sócios de uma empresa. Já conheci jovens com um pouco mais de trinta anos que apresentaram experiência de vida profissional muito intensa, bem como formação de topo e que já atuavam bem como Conselheiros. Eu mesmo, comecei minha atividade de Conselheiro aos 35 anos (lá se vão 26 anos), em um tempo que ainda não se tinha a divulgação e a compreensão do que é Governança...


Por fim, por onde começar? Comece realizando um escrutínio de sua trajetória profissional até o momento. Baseado no “quiz”, que referenciamos acima, faça uma lista dos pontos onde você é mais forte, que são seu diferencial e comece a fortalecê-los ainda mais, tornando-os mais visíveis e claros. Veja o que você ainda precisa desenvolver, e vá suprindo seus gaps de forma paulatina. Faça seu Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)!!! Se precisar de inspiração, aqui você vai ler alguns exemplos de PDI: https://www.celint.net.br/pdi


Se quiser uma leitura que te balize nos caminhos de Conselhos, leia meu mais recente livro “Conselheiro de Empresas – o que você precisa saber para uma carreira promissora”, à venda em diversas livrarias on-line e, também, pelo site da Alta Books. Ou veja os programas que oferecemos pelo CELINT.


O importante é começar. A mesa só fica pronta quando os seus quatro pés são colocados. E a hora é agora!!!





7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page